Administração de Recursos Humanos: Dezembro 2008

sábado, 27 de dezembro de 2008

Análise do Ambiente Externo de Recursos Humanos

ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO DE RECURSOS HUMANOS

“O novo contexto dos negócios está impondo fortes pressões e novas demandas e desafios para as organizações. Principalmente para sua administração” Chiavenato ( 2004:18)

Tudo que ocorre do lado de fora da empresa também interessa aos administradores. É lógico que, o que acontece no interior da organização, também faz muita diferença, porque possivelmente será reflexo do que ocorre lá fora.
Acreditamos que o sucesso de uma empresa depende diretamente da sua atuação internamente. Todavia, isso não ocorre de forma isolada, pois o ambiente externo é extremamente importante em todo o contexto na qual a empresa está inserida, e estar atento às mudanças que nele acontecem, é essencial para o Administrador.
É necessário que as empresas se atentem para o Ambiente Externo. As oportunidade e ameaças devem ser identificadas e analisadas para futuras decisões, até mesmo na mudança de direção da organização. Imagine, por exemplo, que você há alguns anos atrás tivesse uma escola de datilografia. O que seria de você hoje? Possivelmente, nada! O que você deveria ter feito então naquele momento? Mudar os rumos do seu negócio. Que tal uma escola de digitação? Ou uma escola de informática?
Esse é um exemplo simples e básico, mas conhecemos inúmeros casos de insucesso, porque administradores não enxergaram outras oportunidades no mercado para valorizar o seu negócio, ou simplesmente não conseguiram enxergar ameaças rondando a sua empresa, pois não sabiam que do lado de fora da empresa existe vida, existem situações incontroláveis, como política, economia, leis, etc.
Entendemos ser de altíssima importância entender o Ambiente Externo, mas também devemos entender que muitas vezes não há como controlá-lo, e é nesta hora que o planejamento é uma das ferramentas mais eficazes da Administração, pois com ele, as intempéries podem ser monitoradas ou pelo menos, abrandadas. Você não pode proibir a chuva de cair, mas pode se precaver saindo de casa com um guarda-chuva.
É mais ou menos assim que deve agir o Administrador. Ler, estudar, entender e compreender o meio no qual está inserido sua empresa, evitando surpresas desagradáveis, que podem até mesmo levá-la à falência. Para quem ainda tem dúvidas, vai uma dica. Comece a ler mais jornais e revistas não somente na área que você atua, mas em outras também. De repente, o mercado em que você está pode estar saturado e você nem percebeu. Que tal dar uma olhada pela janela de sua empresa e enxergar o ambiente externo da forma que ele deve ser visto.

Nas próximas postagens estarei colocando os principais setores que devem ser analisados quando da análise do ambiente externo.

Francisco Gomes
Dezembro/2008

Missão do departamento de Recursos Humanos

MISSÃO DO DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS

“A missão de uma empresa é a razão de ser pela qual ela foi criada e desenvolvida” CHIAVENATO, 2004: 45

Compreendemos que a missão deve responder o que a empresa ou a organização se propõe a fazer, para quem., e que o enunciado da missão é uma declaração concisa do propósito e das responsabilidades da empresa perante os seus clientes.
E por assim ser, a missão do Departamento de Recursos Humanos deve estar alinhada com a missão da empresa ou organização, devendo, portanto, estar voltada ao desenvolvimento do capital humano alocado dentro da empresa, sendo o colaborador, neste momento, utilizado como meio, para que a empresa possa atingir seus objetivos e metas.
Cabe ao Departamento de Recursos Humanos, analisarem as competências dos indivíduos e equipes para que representem um diferencial em relação às outras empresas, e ainda garantir no ambiente interno, alto nível de motivação, engajamento e segurança para os funcionários da empresa.
Muitas vezes nos questionamos do porque a empresa existe, a resposta para esta questão está em nós mesmos, vejamos, pergunte a si mesmo, o porquê da existência da empresa onde estou trabalhando?
Pensou e acredito que você tenha chegado a conclusão que é para ganhar dinheiro, pois bem, segundo Chiavenato (2004), a empresa existe, não é para ganhar dinheiro e nem é para remunerar os acionistas e nem para gerar empregos, tudo isso é apenas decorrência, pois deve ter como foco obter lucro a fim de continuar operando ou produzindo produtos e serviços cada vez mais e melhor, ou seja, se uma empresa tiver como foco apenas e tão somente o lucro, está fadada a quebrar, é isso mesmo, falir, pois o mercado está em constante ebulição e o teu concorrente está de olho na sua vulnerabilidade.
Verificamos ainda que na missão, a empresa ou organização, deve deixar claro quais os produtos e/ou serviços que produz quem são seus clientes em potencial, ou seja, quem é verdadeiramente o cliente da empresa, qual o mercado comprador e segmento de atuação da empresa.
Diante do acima exposto, conclui-se que além de ser o registro de nascimento da empresa ou organização, a missão deve constar o porque e para que a empresa existe, e se ganhar dinheiro não é o objetivo principal, e sim uma decorrência, podemos concluir que este resultado, ou seja, o lucro é o resultado da produção de produtos e/ou serviços de qualidade que tem o poder de satisfazer muito além das necessidades de seus clientes, e para que isto seja possível, a missão de recursos humanos deve estar, além de alinhada com a missão da empresa ou organização, voltada para o desenvolvimento e o reconhecimento do seres humanos em um ambiente de alto nível de motivação, com constantes desafios e com colaboradores engajados na busca dos objetivos pessoais e organizacionais, pois conforme Chiavenato (1999), a moderna gestão de pessoas, não pode ficar distanciada da missão da organização, pois esta facilita a identificação dos valores que a organização acredita.
Quando analisamos a missão de Recursos Humanos de algumas empresas, verifica-se que na sua maioria, estas buscam colocar em suas missões, não apenas a resposta da sua existência, mas vão muito mais além, embutem seus valores, crenças e objetivos, deixando claro qual deve ser a estratégia a ser seguida pelo RH, indicando o caminho a ser seguido pelos colaboradores, já que “a missão funciona como o propósito orientador para as atividades da organização e para aglutinar esforços de seus membros” Chiavenato (1999).

Francisco Gomes
Novembro/2008